Curiosidade: Uruguaios não podem comprar em seus Free Shops

Um fato bastante curioso, que muitas vezes não percebemos entre as lojas da fronteira do Uruguai, é que o governo uruguaio não permite a venda dos produtos aos seus cidadãos.

Sabemos que a existência dos free shops de Rivera, e em algumas cidades da fronteira Uruguai / Brasil, foi uma decisão do governo do país vizinho na década de 80 para atrair turistas, principalmente brasileiros. Além de desenvolver as cidades e a região, entre outros motivos. É bastante curioso o impedimento de comercialização dos produtos àqueles cidadãos, notado no cartaz fixado em uma loja de Rivera. Acreditamos que os uruguaios devam se sentir prejudicados, mas até certo ponto é aceitável, sendo uma questão de bom senso, já que as lojas realmente atraem turistas e não só para as compras, já que muitos terminam por se interessar pela cultura daquele país.

Já presenciamos também o fato de algumas pessoas pedirem como “favor” para que algum turista brasileiro ou de outra nacionalidade autorizada a comprar, “emprestar” sua carteira de identidade para fazer o pagamento. Talvez o Brasil não seja o único país onde tenhamos o “jeitinho brasileiro”, não é mesmo?

Vale ressaltar que não temos conhecimento sobre essa lei uruguaia, apenas as informações, conforme colocamos, e acreditamos que essa proibição ocorra somente nas lojas classificadas e autorizadas como “free shops”. Se alguém souber mais e puder colaborar nos comentários, será bem-vindo!