Dólar em alta, Free Shops de Rivera em baixa?

Você já estava com as malas praticamente prontas, tinha dado a última conferida no saldo da conta bancária e eis que surge William Bonner, ou qualquer outro jornalista de sua preferência, e anuncia que o dólar está em alta e que os brasileiros já estão reorganizando seus planos e adiando as viagens para o exterior. Mesmo não sabendo muito de economia, você já reconhece que quando a palavra “dólar” aparece acompanhada da palavra “alta” a situação deixa de ser favorável em relação a viajar para fora do Brasil.

Mas, porque o dólar anda subindo tanto em relação ao real?

Segundo economistas, somente no mês de Setembro o dólar americano subiu mais de 12%, sua maior cotação desde o inicio do ano passado. Para quem pretendia fazer compras no exterior e em free shops, significa pagar muito mais caro por um produto agora do que há aproximadamente um mês.

Até pouco tempo atrás, o real recebia dos especialistas a conotação de moeda emergente, já que em relação ao dólar, era a moeda que mais caía. Algo que refletia as inúmeras estratégias do governo tendo em vista o desenvolvimento do país e sua projeção no cenário internacional.

Foi justamente por isto, que as notícias sobre a alta do dólar provocaram espanto de muita gente, principalmente pessoas que aproveitavam a oportunidade de comprar produtos fora do país por um preço mais acessível que o mesmo produto vendido aqui, no mercado brasileiro.

Se nada ocorre por acaso, as mudanças nas taxas de cambio são reflexo do que vem ocorrendo na economia mundial nos últimos meses, principalmente, na Europa. Como muitos já devem estar sabendo, a economia da Itália e da Grécia encontram-se em uma situação bastante preocupante. Os países têm encontrado sérias dificuldades para pagar suas dívidas. Assim, é possível dizer que a crise financeira da Europa acaba refletindo na economia e nas bolsas de valores do mundo todo, o que consequentemente faz aumentar a procura pelo dólar. Além disto, algumas medidas do Banco Central em relação a cortes de juros, provocou uma diminuição o interesse do investidor estrangeiro no país, fazendo com que nossa moeda se desvalorizasse em relação ao Dólar.

Mesmo havendo uma diminuição do número de turistas nos free shops, os empresários da região não perderam o otimismo. Acostumados com as variações que já ocorreram em anos anteriores, eles acreditam que mesmo com a retração dos clientes devido as oscilações da taxa de câmbio, os produtos importados ainda continuarão sendo procurados pelos clientes. E de fato, cidades como Rivera não constantemente visitadas somente por oferecerem produtos importados mais baratos. Existe uma variedade de produtos que o consumidor não encontra nas prateleiras das principais lojas brasileiras, além é claro, do fato de que os visitantes costumam ser atraídos também pela cultura uruguaia, sua culinária e produtos típicos.

Assim, todo o momento de crise internacional é para muitos a oportunidade de crescimento, de mudanças e reajustes tendo como objetivo o equilíbrio e o desenvolvimento. Para quem já adquiriu certa experiência quando o assunto é alta do dólar, como os comerciantes e empresários dos free shops das cidades que fazem fronteira com o Brasil, este não somente é um momento passageiro como um aquecimento para o sucesso das vendas de Natal.